Sculptra nos glúteos
Uncategorized

Sculptra nos Glúteos

A técnica de utilização de Sculptra nos glúteos está ganhando cada vez mais espaço. O Butt Lift com Sculptra é um procedimento minimamente invasivo que promove a elevação e firmeza no bumbum utilizando um preenchimento dérmico. Assim, as injeções de Sculptra no bumbum estimulam o colágeno nas camadas mais profundas da pele.

O que é Sculptra Glúteos?

Primeiramente, é necessário que você entenda que Sculptra é uma alternativa não cirúrgica para elevar e reestruturar o bumbum. Este tratamento é feito com  injeções de Sculptra em áreas específicas sob a pele. Isso engrossa a derme e estimula o crescimento de colágeno profundo, promovendo uma sensação de firmeza nas nádegas.

Antes e depois de Sculptra nos Glúteos. Foto: reprodução Getty Imagens

É seguro utilizar Sculptra nos glúteos?

Como qualquer outro tipo de preenchimento dérmico, há riscos mínimos de intercorrências. Pode haver em alguns casos:

  • Rubor
  • Equimoses
  • Dor
  • Espasmos

Esses relatos são considerados comuns e geralmente desaparecem após 2 semanas.

Benefícios de Sculptra no Bumbum

O procedimento de elevação dos glúteos com Sculptra é rápido, seguro e quase indolor. Sculptra Glúteos promove benefícios como:

Tratamento com Sculptra no bumbum. Foto: reprodução Getty Imagens
  • Resultados naturais
  • Procedimento não cirúrgico, o que gera menores riscos e complicações
  • Não Invasivo
  • Não é necessário anestesia
  • Recuperação fácil
  • Sem pós-moroso
  • Produto absorvível
  • Longa duração (2 a 5 anos)

Para que você usufrua de todos os benefícios é ideal que um profissional capacitado realize as aplicações de Sculptra.

Recuperação do Sculptra no bumbum

Sculptra não possui tempo de inatividade, pois não é um procedimento cirúrgico. Os pacientes podem relatar incômodos e ficarem doloridos após o procedimento, portanto, não é recomendada a prática de atividades físicas por 24 horas.

Correção de assimetria nos glúteos. Foto: reprodução Getty Imagens.

Quanto tempo dura Sculptra glúteos?

Sculptra age gradativamente e desse modo o estimulo de colágeno vai aumentando conforme o tempo passa. Os resultados podem ser observados de dois a cinco anos. A degradação depende de diversos fatores como, qualidade de vida, pratica de exercícios uso de drogas e bebidas alcoólicas, por isso é importante manter uma vida saudável para que os resultados perdurem.

Aumento do volume em depressões após aplicação de Sculptra. Foto: Reprodução Getty Imagens.

Sculptra é melhor que exercícios físicos?

Nada deve substituir a prática saudável de atividades físicas e após realizar o procedimento é indicado que o paciente possua hábitos saudáveis. Sculptra melhora o tônus ​​muscular para que as nádegas pareçam um pouco mais erguidas e firmes. Desse modo, uma sessão de Sculptra nos Glúteos é comparada a 20.000 agachamentos em uma sessão de 30 minutos.

Projeção de elevação de bumbum com Sculptra.      Foto: Reprodução Getty Imagens.

Sculptra é aprovado pela FDA?

Sim. Sculptra é aprovado para uso facial pela FDA, para as demais regiões as aplicações ocorrem de forma Off-label.

Quem pode fazer Sculptra nos Glúteos?

Sculptra é composto pelo ácido poli-L-láctico, que é um bioestimulador que aviva o mecanismo natural de produção de colágeno do corpo. Pessoas que desejam dar firmeza e contorno ao bumbum podem realizar o procedimento de acordo com as orientações do profissional escolhido. Assim, as melhorias ocorrem com naturalidade sem uma interferência abrupta.

Quem pode aplicar Sculptra?. Foto: Reprodução Getty Imagens.

Desse modo, a técnica não é indicado para pacientes que possuem cicatrização com complicações como no caso de queloides e para pessoas que possuem alergias aos componentes.

Sculptra nos glúteos é melhor que prótese?

Sculptra não é um procedimento invasivo com uma cirurgia plástica, desse modo é considerado bem menos perigoso. Os valores também são consideráveis, Sculptra é mais barato que um implante e que uma transferência de gordura.

Prótese ou preenchimento? Foto: reprodução Getty Imagens. 

Fonte: https://www.sbd.org.br/dermatologistas/publicacoes/

Você também pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *